VGBL ou PGBL – Qual a melhor alternativa para a Previdência Privada?

Nunca é cedo demais para começar a pensar na previdência. Ter um planejamento inteligente para a aposentadoria ajuda a garantir o conforto, a qualidade de vida e a independência financeira na maturidade. Por isso, o ideal é começar a pesquisar sobre as alternativas o quanto antes.

Se você entender os conceitos de VGBL e PGBL, é perfeitamente possível conseguir um rendimento maior. Mas se você não faz ideia do que significam essas siglas, não tem problema: neste post, a gente explica tudo o que você precisa saber sobre o assunto!

O que são VGBL e PGBL?

Essas duas siglas se referem a modalidades de planos de previdência privada, cada um com suas peculiaridades, vantagens e desvantagens. Essas particularidades devem ser levadas em conta na hora de fazer a sua escolha.  

O PGBL é o Plano Gerador de Benefício Livre, e se apresenta como uma boa alternativa para quem precisa poupar dinheiro a curto prazo, já que, nesse plano, o valor mensal pago na previdência é deduzido do Imposto de Renda, mas os tributos, somados aos rendimentos, incidem sobre o valor total da contribuição no momento do saque. 

Em contrapartida, quem quer receber uma quantia maior no longo prazo pode se favorecer com o VGBL, sigla para Vida Garantidor de Benefício Livre. Nesse modelo, é necessário pagar o valor integral do imposto de renda até a aposentadoria, mas, em compensação, quando for resgatar o dinheiro deverá pagar apenas o rendimento, e não o acumulado ao longo dos anos. 

As principais vantagens de cada plano de previdência privada 

Em alguns casos, o PGBL pode ser uma opção melhor. Por exemplo, para quem não tem tanta renda e precisa diminuir seus gastos no curto prazo, ele pode ser mais vantajoso. No caso de quem faz a declaração completa do Imposto de Renda, esse plano é mais fácil de ser abatido, o que melhora seu custo-benefício. Entretanto, é preciso lembrar de que só é permitido abater até 12% da renda bruta. Portanto, dependendo do tempo de investimento e do total a ser arrecadado, pode ser mais interessante financeiramente arcar com uma cobrança mais alta no vencimento. 

Em outras situações, contudo, o VGBL é uma alternativa mais vantajosa, por ser mais simples e também mais indicado para o longo prazo. Com esse plano, não é possível deduzir regularmente o desconto do Imposto de Renda, porém ele permite reter uma parcela maior do capital aplicado no momento do resgate, o que aumenta a renda mensal na aposentadoria. 

Normalmente usa-se o VGBL como complemento a algum plano PGBL, já que não há nada que impeça a contratação de mais de um plano de previdência distinta e, inclusive, diversificar os investimentos é sempre uma recomendação interessante para conseguir mais segurança e estabilidade no futuro. Assim, se você tiver condições, pode usar os dois planos sem problemas. 

Qual é a opção mais vantajosa?

Como você pode perceber, a resposta para essa pergunta vai depender do seu contexto, das suas necessidades e de suas prioridades, já que cada plano tem especificidades próprias que os tornam mais ou menos favoráveis, dependendo da situação. Em alguns casos, o PGBL pode ter rendimento até mesmo superior ao do VGBL.

Que impostos estão incluídos nos dois planos?

Não basta dominar os conceitos de VGBL e PGBL: é preciso saber também as diferenças que há entre eles no que se refere à tributação. Cada um deles está sujeito a impostos distintos, independentemente do abatimento, e esses fatores precisam ser considerados.

Imposto de Renda

O Imposto de Renda é o tributo que mais afeta a previdência. Arcar com o custo completo no VGBL implica pagar mais todos os meses, entretanto, também permite que o valor recebido no momento do resgate seja mais alto. Por outro lado, o PGBL conta com mais garantias e sai mais barato a curto prazo, então é a melhor opção para aqueles que não têm renda estável e para quem faz a declaração completa para conseguir abatimentos. 

Também é necessário considerar a forma como o valor do tributo é cobrado. Há duas modalidades de cobrança disponíveis, a tabela regressiva e a tabela progressiva. 

Tabela regressiva

Essa tabela representa a alíquota do Imposto de Renda aplicada a cada mensalidade da previdência, e faz com que a alíquota inicial seja mais alta e regrida ao longo do tempo.

O padrão é que essa alíquota inicie em 35% e vá diminuindo em intervalos de um ou dois anos, atingindo o mínimo em dez anos. Essa é a escolha certeira para quem quer se aposentar mais cedo.

Tabela progressiva

Nessa tabela, o total cobrado é o valor total do Imposto de Renda, incluindo os reajustes previstos. Ela é mais indicada para quem começou a pensar na previdência um pouco mais tarde e tem um prazo inferior a dez anos até a aposentadoria, já que, nesse caso, não será possível aproveitar a  alíquota mais baixa da tabela regressiva ao máximo.

Conseguiu tirar suas dúvidas sobre as principais diferenças entre VGBL e PGBL? Então agora é só escolher seu plano de previdência privada! 

Sobre o Autor

LiveCapital

LiveCapital é um gerenciador de investimentos que ajuda você a controlar online todas as suas ações, derivativos, fundos, renda fixa e outros ativos.