Tesouro direto – Saiba como declarar o IR

Alguns investidores iniciantes têm a falsa ideia de que o Tesouro Direto vale a pena porque é isento de tributos, mas isso não é verdade. Na realidade, os investimentos em títulos do Tesouro Direito estão sujeitos ao Imposto de Renda, sendo os encargos cobrados de maneira regressiva, com alíquota mínima de 15% que incide apenas sobre o rendimento. 

Ainda assim, trata-se de um investimento muito seguro e rentável, sobretudo se você pretender investir a longo prazo, pois quanto mais tempo o dinheiro permanecer aplicado, menor será o valor cobrado. 

É preciso se informar sobre os encargos para fazer escolhas mais inteligentes e investir de forma certeira. Por isso, neste post, explicaremos tudo o que você precisa saber sobre a declaração do Imposto de Renda no Tesouro Direto

Como o Imposto de Renda no Tesouro Direto é calculado? 

A primeira coisa que você precisa saber é que o cálculo do Imposto de Renda do Tesouro Direto considera somente os rendimentos do período. O capital inicial investido continua intacto. 

Conforme explicamos anteriormente, a alíquota cobrada diminui gradualmente conforme o tempo do investimento, de modo que manter o ativo por mais tempo na carteira acaba sendo mais vantajoso, pois proporciona um aumento no rendimento líquido. Se o ativo for vendido antecipadamente, o imposto é calculado de acordo com o período de aplicação, iniciando-se na data da compra. Já se os títulos tiverem juros semestrais, o tributo é calculado em cima dos rendimentos dos cupons. 

Como você pode perceber, antes de resgatar o dinheiro é importante conferir a alíquota do Imposto de Renda que será aplicada. A seguir, saiba como fazer essa verificação. 

A tabela de tributação de Imposto de Renda no Tesouro Direto

A alíquota do Imposto de Renda do Tesouro Direto segue uma tabela regressiva, em que quanto mais tempo o dinheiro ficar aplicado, menor será a quantia a ser paga.

Para um tempo de aplicação de até 180 dias, a alíquota do IR é de 22,5%. Para aplicações que durem entre 180 e 364 dias, ela cai para 20%. De 364 a 720 dias, a alíquota cobrada é de 17,5%. Por fim, para aplicações com mais de 720 dias de idade, é cobrada a alíquota mínima de 15% sobre os rendimentos. 

Como recolher o Imposto de Renda no Tesouro Direto?

Esse tributo é retido na fonte. Portanto, o investidor só tem de citar o investimento nos títulos do Tesouro Direto na hora de fazer a declaração anual. 

A cobrança em si só será concretizada quando o título público vencer, quando acontecer o recebimento dos cupons semestrais ou no caso de venda antecipada dos títulos. 

Como fazer a declaração do Imposto de Renda no Tesouro Direto

Quem investiu nesse ativo em 2018 precisa prestar contas agora em 2019. Mas isso não é motivo para pânico! A declaração deve ser feita por meio do site da Receita Federal, e o processo é simples e rápido.

Quando se investe no Tesouro Direto, as corretoras disponibilizam o Informe de Rendimentos referente ao ano de exercício, e é esse documento que será utilizado na hora de declarar. De posse do Informe de Rendimentos, é necessário entrar no site e escolher a opção “Campo 5 – Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva”.

Depois disso, o investidor deve clicar no item “Rendimentos de Aplicações Financeiras” e preencher o saldo do Tesouro Direto referente ao valor de aquisição, no período de 31 de dezembro de 2017 até 31 de dezembro de 2018. Também é preciso preencher o rendimento líquido pago ou creditado durante esse intervalo. Especifique bem cada ativo, incluindo o nome da corretora de valores utilizada. Se por acaso o investidor tiver feito uma venda antecipada, deve-se preencher o formulário com o saldo remanescente.  

Não se esqueça de revisar todas as informações prestadas antes de enviar a declaração e, é claro, de obedecer ao prazo legal para evitar o pagamento de multas ou, pior ainda, a temida malha fina!

Vale lembrar que, se você acabou de começar a investir no Tesouro Direto, ou planeja fazer isso em em 2019, ainda não precisa prestar contas. Nesse caso, só será necessário fazer a declaração a partir de 2020.

Esperamos que este post tenha ajudado a responder às principais dúvidas sobre o Imposto de Renda no Tesouro Direto e a esclarecer como deve ser feita a declaração. Se você gostou, não se esqueça de compartilhar o artigo em suas mídias sociais. 

Sobre o Autor

LiveCapital

LiveCapital é um gerenciador de investimentos que ajuda você a controlar online todas as suas ações, derivativos, fundos, renda fixa e outros ativos.