Reserva financeira – Como sobreviver a situações de emergência

Nunca se sabe quando algum revés vai tirar a vida dos trilhos e fazer com que você perca o controle. É muito importante contar com uma reserva financeira para emergências, para cobrir gastos inesperados e evitar que você mergulhe nas dívidas quando acontecerem imprevistos. 

Uma reserva financeira nada mais é do que uma quantia em dinheiro aplicada em investimentos de curto prazo que permitam o resgate do capital a qualquer momento para cobrir eventuais emergências. Dessa maneira, o dinheiro fica guardado e rendendo enquanto você não precisar utilizá-lo, mas pode ser sacado imediatamente quando necessário. 

A reserva financeira deve ser equivalente a, no mínimo, seis vezes o seu orçamento mensal, para garantir certo conforto mesmo quando você estiver passando por uma crise e evitar que, de uma hora para a outra, você fique totalmente descapitalizado. 

Por que ter uma reserva financeira?

Por mais organizada financeiramente que seja uma pessoa, em algum momento da vida ela precisará de dinheiro para quitar débitos inesperados. Isso é normal. Situações como demissão, problemas de saúde, acidentes, consertos emergenciais no carro, reparos que precisam ser feitos na casa… existem inúmeras razões que podem tirar seu planejamento financeiro do controle, e é por isso que criar uma reserva de emergência é tão importante.

Ter esse cuidado é o passo inicial para uma vida organizada e com menos estresse, afinal, não importa o que aconteça: você sempre estará preparado para enfrentar os contratempos sem desespero. 

A reserva de emergência também é essencial para garantir a segurança em momentos de maior risco, como uma mudança de emprego ou de carreira, a abertura de uma empresa, uma mudança de estado ou de país, entre outras situações. 

Outra razão pela qual é tão aconselhável criar uma reserva financeira é que, dessa forma, será possível investir em aplicações mais arriscadas para aumentar a rentabilidade de seus investimentos, afinal, só se deve partir para aventuras mais agressivas quando se tem um colchão de liquidez que assegure um futuro mais tranquilo e livre de apuros financeiros. Dessa maneira, o investidor tem melhor poder de decisão e pode assumir riscos sem medo. 

Como construir a sua reserva financeira

Iniciar uma reserva financeira do zero não é tão complicado quanto possa parecer, visto que, na maioria das vezes, um bom planejamento financeiro já é meio caminho andado para conseguir cortar despesas supérfluas e economizar.

Por isso, o primeiro passo é: faça uma estimativa dos seus gastos mensais, computando todas as entradas e saídas de dinheiro e colocando na ponta do lápis absolutamente todos os custos, sejam eles fixos ou variáveis. A partir daí, fica mais fácil identificar os excessos e descobrir maneiras de enxugar os gastos

O segundo passo é definir uma meta realista de quanto será necessário poupar por mês para atingir o número mágico de seis vezes o seu orçamento doméstico. Nesse momento, você precisa calcular a quantia que sua reserva deve ter e em quanto tempo é viável juntar esse dinheiro. Então, basta dividir o valor que deve ser alcançado pelo valor médio que você consegue poupar por mês.

Uma boa dica para facilitar nesses cálculos é seguir a regra dos 50-15-35, em que 50% do seu salário deve ser destinado para os gastos essenciais, como os custos de moradia, educação, saúde, transporte, alimentação e faturas de consumo em geral; 15% deve ser direcionado para prioridades financeiras, como o pagamento de dívidas e, é claro, a reserva financeira, finalmente, os 35% restantes pode ser gastos para manter o seu padrão de vida, cobrindo aquelas despesas que não são essenciais, mas te fazem mais feliz.

Mas vale lembrar que esses percentuais podem ser ajustados de acordo com a sua realidade financeira: se puder poupar um pouco mais para “engordar” sua reserva emergencial mais rapidamente, por que não?

O último passo é escolher um investimento de curto prazo seguro para colocar o valor destinado à reserva financeira de emergência. É importante que o produto financeiro escolhido tenha liquidez diária e que permita o resgate imediato, como, por exemplo, o Tesouro Selic, o CDB, a LCA e a LCI. Caso precise de ajuda para gerenciar melhor esses investimentos, lembre-se de que você sempre pode contar com o LiveCapital para controlar seu patrimônio e multiplicá-lo.  

Vale ressaltar que a aplicação desse dinheiro deve ser considerada um compromisso, uma conta que precisa ser paga todos os meses, exatamente como as contas de luz, gás e telefone. Manter a consistência nos aportes financeiros é fundamental para que você consiga juntar dinheiro o suficiente para garantir que, em caso de imprevistos, estará salvaguardado e não precisará recorrer a medidas extremas, como o cheque especial. A reserva financeira garante a saúde de seu bolso e a sua tranquilidade. Acredite: isso não tem preço!

Sobre o Autor

LiveCapital

LiveCapital é um gerenciador de investimentos que ajuda você a controlar online todas as suas ações, derivativos, fundos, renda fixa e outros ativos.