O que é mini dólar e como funciona?

O mini dólar tem atraído muitos investidores. Porém, é preciso entender direitinho o que é e como funciona esse tipo de investimento para lucrar com ele. Neste post, vamos explicar tudo o que você precisa saber sobre o mini dólar. 

O que é o mini dólar? 

Na realidade, o nome mini dólar se refere a minicontratos de dólar futuro, que são negociados na Bolsa de Valores e padronizados de acordo com as datas de vencimento. Esses minicontratos são acordos de compra ou venda de dólares em algum prazo no futuro, por um preço previamente definido, e sua cotação é auferida em reais por mil dólares americanos.

O minicontrato de dólar futuro apresenta valor de contrato equivalente a 10% do contrato-padrão de dólar negociado na BM&FBovespa, e é um dos minicontratos futuros de moeda mais negociados no mundo inteiro. Suas principais características são a alta liquidez e a baixa volatilidade, o que atrai muitos investidores, visto que é simples iniciar ou finalizar uma operação. As cotações do mini dólar são fortemente impactadas pelo mercado externo, e apresentam um bom movimento de tendência.

Um minicontrato de dólar futuro acompanha diretamente as oscilações cambiais. Ele não pode ser considerado um investimento de longo prazo pois o mercado futuro do dólar é, na prática, uma operação de day trade: trata-se de uma aposta na variação da moeda norte-americana em um mesmo dia. O mini dólar tem custos e valores reduzidos, o que faz dele um investimento bastante visado. 

Por que apostar no investimento em mini dólar?

Uma das principais vantagens do mini dólar é que ele funciona como um instrumento de proteção contra as oscilações negativas no preço do dólar. Com ele, o investidor consegue operar com custos mais baixos e, além disso, os valores são acessíveis para pessoas físicas e jurídicas que queiram investir na Bolsa sem correr altos riscos.

Trata-se de um ativo bem versátil, já que mesmo que você participe do mercado físico de câmbio, pode usar o minicontrato de dólar para comprar e vender de acordo com suas expectativas em relação à taxa de câmbio. 

Como negociar mini dólar na Bolsa?

A negociação de mini dólar não é um bicho de sete cabeças. Na verdade, é como operar uma ação. Atualmente, todas as corretoras disponibilizam plataformas de home broker integradas ao WebTrading da BM&FBovespa, de modo que é possível negociar mini dólares utilizando qualquer dispositivo com conexão à internet, entre as 9h e as 18h dos dias úteis.

O código de negociação é composto pelo radical WDO somado à letra correspondente ao mês de vencimento do contrato e a dois números referentes ao ano de vencimento do contrato. Para realizar a negociação, é necessário ter depositado 15% do valor dos contratos negociados na conta margem da corretora, a título de garantia.

Em alguns casos, outras garantias também podem ser aceitas, como títulos públicos do governo, certificados de depósitos bancários ou até mesmo ações de empresas. Vale ressaltar que o lote padrão de negociação desse ativo é composto de um contrato, e não é necessário que o investidor tenha uma posição comprada em aberto no minicontrato para vendê-lo. 

A BM&FBovespa realiza, diariamente, o ajuste das posições em aberto em mini dólar futuro, creditando e debitando valores nas contas que os investidores mantêm nas corretoras. Cabe a lembrança de que, embora as transações com o mini dólar se deem no day trade, o pagamento só é feito na data de vencimento do contrato.

Quanto custa negociar mini dólar na Bolsa?

Além de disponibilizar 15% do valor dos minicontratos como margem de garantia, conforme já explicamos, para operar com mini dólar na Bolsa o investidor também precisa levar em consideração o valor da taxa de corretagem, que é cobrada pela corretora de valores mobiliários pela intermediação da operação. Normalmente essa taxa é fixa, e incide sobre cada operação de compra e venda. 

Outras cobranças realizadas nesse tipo de operação são a taxa dos serviços prestados pela BM&FBovespa, que cobra uma tarifa pela execução da negociação de cada minicontrato futuro de dólar antes da data de vencimento, e pela Clearing de Derivativos, que cobra um valor fixo por cada minicontrato liquidado na data de vencimento 

Vale lembrar que os mini contratos de dólar futuro são isentos da taxa de registro e da taxa de permanência. Entretanto, os ganhos líquidos nessas transações estão sujeitos à cobrança de imposto de renda. A alíquota base utilizada para esse tipo de ativo é de 15% em cima do lucro líquido. 

 

Como lucrar com o mini dólar?

Como o câmbio é instável e sua variação está sujeita à influência de diversos fatores, o mini dólar é um investimento arriscado e mais aconselhável para investidores de perfil mais agressivo. 

Alguns dos fatores de risco que devem ser analisados na hora de operar com minicontratos de dólar são a disponibilidade de dólares, o fluxo de entrada do dólar gerado com exportação e importação, os investimentos estrangeiros no Brasil, as remessas da moeda para outros países, a tendência de compra e venda de dólares no mercado interno, a situação econômica no momento, a ação do Banco Central e as taxas de juros internacionais. 

Nossa dica é: invista parte do dinheiro disponível no mini dólar, mas não se esqueça de que esse ativo deve fazer parte de uma carteira diversificada de investimentos, porque essa é a melhor maneira de proteger seu capital e garantir bons retornos. 

E você, já opera ou pretende operar com o mini dólar?

Sobre o Autor

LiveCapital

LiveCapital é um gerenciador de investimentos que ajuda você a controlar online todas as suas ações, derivativos, fundos, renda fixa e outros ativos.