O financiamento de veículos vale a pena?

Muita gente fica em dúvida sobre o financiamento de automóveis. Afinal, será que é mais vantajoso juntar o dinheiro para comprar à vista ou financiar o valor? Antes de responder a essa pergunta, é necessário analisar as taxas e juros aplicados e fazer as contas para saber se compensa. 

Neste post, explicaremos como fazer isso! 

Analise as taxas e fuja das armadilhas

É muito comum que as concessionárias de automóveis “escondam” nas entrelinhas todas as taxas embutidas no financiamento. Por isso, é preciso que o comprador esteja ciente que, além dos juros mensais em cima do valor do veículo financiado, existem outras despesas envolvidas. 

Se optar por financiar o veículo, saiba que você deverá arcar com os juros informados pela concessionária e com as taxas que estão inclusas, como a Taxa de Abertura de Crédito (TAC), que  custeia a investigação feita pelo banco para analisar se é arriscado conceder o crédito ao comprador, e  que varia entre R$ 500 e R$ 1.500.  Há bancos que abrem mão da cobrança dessa taxa para a liberação do crédito, mas não é regra. Portanto, pesquise. 

Uma cobrança que algumas pessoas desconhecem que está envolvida no financiamento de qualquer bem é o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). No caso de financiamento de automóveis, a alíquota é de 3% ao ano para pessoa física, mais uma taxa de 0,38% de IOF no momento da abertura. 

Isso tudo deve ser levado em consideração na hora de decidir ou não pelo financiamento. É importante que, antes de fechar o negócio, você analise minuciosamente o Custo Efetivo Total (CET), a taxa que embute todos os custos do financiamento, para avaliar o quanto você terá que desembolsar a mais, comparado ao preço à vista.  

Saiba também que as taxas de juros costumam ser mais elevadas ao financiar um veículo usado em vez de um carro zero quilômetro, portanto, é seu dever pesquisar o melhor custo-benefício. Para ajudar nessa tarefa, é possível lançar mão de uma calculadora de empréstimos e financiamentos para visualizar melhor como os diferentes valores de empréstimos, CETs e termos de contrato influem no preço a ser pago. 

Uma armadilha comum nas instituições financeiras é anunciar uma taxa de juros bem competitiva para atrair clientes mas, em contrapartida, cobrar uma TAC altíssima, o que acaba não compensando. Para evitar cair nessa cilada, é interessante consultar o site do Banco Central, que exibe uma pesquisa das taxas de juros para financiamento de veículos nos principais bancos.

Outro fator a se levar em conta é que, caso você tenha alguma restrição SERASA ou no SPC, não será possível obter o crédito. Portanto, resolva essa questão antes de buscar o financiamento. 

Avalie os prós e os contras antes de tomar sua decisão

Não existe uma fórmula mágica que defina a melhor decisão a ser tomada. É necessário entender bem como funciona esse tipo de crédito para tomar a decisão mais adequada para sua situação financeira.

O financiamento pode se fazer necessário se a pessoa estiver com muita pressa para comprar ou trocar de carro, por depender do veículo para trabalhar, por exemplo. Nessas situações, não seria viável esperar juntar a quantia necessária para pagar à vista. 

Não dá para negar, porém, que se organizar financeiramente e poupar dinheiro para não depender do financiamento é, na maioria dos casos, a melhor opção. Isso permite até mesmo negociar um desconto na concessionária para pagamento à vista, além de garantir o ganho de juros sobre juros durante o processo de poupar e investir. 

A inflação e o preço dos automóveis

Para evitar a cobrança de todas as taxas e encargos mostrados acima, é mais interessante investir o dinheiro destinado para a aquisição do automóvel, deixando-o render e permitindo a compra à vista na data de vencimento da aplicação.

Uma dúvida muito comum, entretanto, é se os preços dos veículos vão subir mais do que a inflação, fazendo com que o dinheiro aplicado perca o poder de compra. Em outras palavras: será que a quantia investida será o suficiente para comprar o carro desejado quando os preços subirem? 

Felizmente, os dados indicam que sim. Com o aumento da concorrência no setor automobilístico e as constantes inovações tecnológicas nesse segmento, os preços dos automóveis não aumentaram tão significativamente nos últimos tempos, e vários modelos que estão entre os mais vendidos no Brasil ficaram até mais baratos, já que tiveram reajuste de preços menores que a inflação. Portanto, quem poupou dinheiro para comprar um carro à vista se deu muito bem.

Fica aí a dica: se for possível, opte por investir seu capital em alguma aplicação segura ao invés de fazer uma dívida. 

 

Como você pode perceber, para descobrir se vale a pena ou não financiar um automóvel, é necessário conhecer todas as taxas envolvidas e calcular os juros de financiamento, além de analisar o CET para saber qual será o custo total a ser desembolsado, sem pegadinhas. 

O LiveCapital conta com um widget específico para quem está preocupado com seu veículo, o Conta Veículos! Com ele, é possível gerenciar seu automóvel no controle de seus investimentos, além de verificar o preço atualizado automaticamente através da Tabela FIPE, analisar os impactos dos custos de IPVA, seguro, manutenção, estacionamento, abastecimento e outras despesas relacionadas ao automóvel. O widget também permite controlar o financiamento do seu carro, caso ele tenha sido adquirido dessa maneira. Conheça todas as funcionalidades clicando aqui

Quer saber mais sobre como investir de forma inteligente? Conte com o LiveCapital para auxiliar no controle de sua carteira de investimentos

Sobre o Autor

LiveCapital

LiveCapital é um gerenciador de investimentos que ajuda você a controlar online todas as suas ações, derivativos, fundos, renda fixa e outros ativos.