Fundos de índice: o que são e quais as vantagens de investir em ETFs?

Está disponível na bolsa de valores uma modalidade de aplicação que tem chamado a atenção de diversos investidores. São os Exchange Traded Funds ou fundos de índice (ETF), que possibilitam bons ganhos e o aumento a carteira de investimentos sem precisar que aplique em todos os papéis que fazem parte da carteira.

Contudo, é preciso entender a fundo o que são e como funcionam esses índices para evitar prejuízos. Então continue acompanhando este post e veja quais benefícios e do que se trata esse investimento:

O que são os fundos de índice?

São fundos que buscam um retorno semelhante a um índice que usam como referência. Para isso, as cotas são negociadas na bolsa de valores e no mercado de balcão organizado.

Para exemplificar, a Ibovespa tem um ETF chamado de BOVA11, que leva como referência e reúne todas as empresas de porte menor da Bovespa. Os primeiros índices foram lançados nos Estados Unidos em meados dos anos 80 e, desde então, têm ganhado cada vez mais investidores devido às suas vantagens.

Como funcionam?

Cada ETF é formado por uma cesta com várias ações de empresas que constituem cada índice do mercado de ações. Para isso, a aplicação acontece também em outros fundos, com a negociação de cotas que ocorre na bolsa de valores.

Dessa forma, você poderá adquirir um ETF que seja constituído por empresas do índice da Bovespa, que disponibilize bons dividendos ou que represente o setor financeiro e de consumo. As transações acontecem quando um investidor precisa entrar ou sair de um índice ou quando há a necessidade de fazer operações de arbitragem.

Quais existem atualmente na bolsa de valores?

No mercado financeiro brasileiro, podemos encontrar dois tipos de ETF:

  • de renda fixa: a maior parte dessa carteira é formada por títulos públicos e privados que aceitam qualquer outro tipo de índice de renda fixa — basta que ele seja reconhecido pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários);
  • de renda variável: foram os primeiros lançados e são os mais utilizados. A carteira é constituída de ETFs que podem ser negociados na bolsa, ou seja, ações. Para isso, você aplicará seus recursos em uma carteira de ações e aguardará o retorno que corresponde à situação do índice.

Existem ainda os ETFs de segmento, título, moedas e commodities, mas não são comuns no mercado brasileiro.

Quais são as vantagens?

O principal benefício que os fundos de índice proporcionam é a possibilidade de grande diversificação da sua carteira, o que permite proteção contra sazonalidade e maiores ganhos. Além disso, os ETFs apresentam ótima rentabilidade, que é dada pela oscilação dos ativos.

No mais, apresentam liquidez diária e alta, ou seja, se você vendê-los na bolsa, poderá receber o seu resgate em até três dias após a data. No entanto, é preciso atenção, pois ativos desconhecidos podem apresentar mais dificuldades de venda.

Como investir?

Para começar, é preciso que você tenha conta em uma corretora que disponibilize a opção de fundos de índice e conte com um bom gerenciador de investimentos. Os processos e transações feitos nesse tipo de investimento são muito semelhantes às ações. Após isso, basta começar a comprar ou vender seu ETF. Vale ressaltar que o valor mínimo para investir é em torno de R$500.

Devido à sua alta rentabilidade e baixo custo de investimento, os fundos de índice têm sido a escolha de quem busca diversificação e segurança. Portanto, não perca essa chance de aplicar no mercado de ações.

Gostou de entender os fundos de índice e quer saber mais sobre a bolsa de valores? Então confira o nosso guia e aprenda como escolher os melhores investimentos!

Sobre o Autor

LiveCapital

LiveCapital é um gerenciador de investimentos que ajuda você a controlar online todas as suas ações, derivativos, fundos, renda fixa e outros ativos.