fundo de investimento

Fundo de investimento: você sabe o que é?

Realizar uma aplicação em um fundo de investimento é uma ótima opção para quem quer aumentar a sua rentabilidade e também mostrar resultados satisfatórios para seus clientes.

Existem vários tipos de fundos, os quais oferecem suas vantagens e desvantagens, por isso é preciso estudar com cuidado qual investimento será ideal para cada perfil de cliente.

Neste artigo, vamos mostrar a você o conceito de fundo de investimento e também algumas opções existentes no mercado, além de apresentar suas vantagens e desvantagens.

Quer saber mais? Continue lendo e confira!

Saiba o que é fundo de investimento

Um fundo de investimento é uma aplicação financeira composta de ativos cuidadosamente selecionados e geridos por um gestor, com base em critérios previamente definidos no seu regulamento.

Para melhor compreensão, podemos compará-lo a um condomínio de apartamentos. Cada cotista (condômino) possui uma cota (o equivalente ao apartamento do nosso exemplo fictício) e paga ao gestor de fundos (síndico) uma taxa de administração, para que ele possa coordenar e administrar o funcionamento do fundo e gerenciar seus recursos no mercado.

Qualquer fundo de investimento conterá regras de funcionamento, onde constará o prazo para resgate do valor investido, a previsão da taxa de administração, eventuais taxas de saída e de performance, as estratégias adotadas e os ativos onde o gestor poderá investir, dentre outras informações.

Conheça algumas opções do mercado

O mercado oferece algumas opções de fundos de investimentos, dentre elas podemos destacar:

Fundos de renda fixa

Os fundos de investimento em renda fixa são fundos que aplicam em títulos públicos, como os do Tesouro Direto, ou privados, como CDBs e debênture.

São indicado para investidores mais conservadores, ou seja, aqueles que não gostam de correr riscos, mas buscam rentabilidade acima da poupança. Seus rendimentos, normalmente, acompanham a taxa de juros do mercado – a taxa Selic – ou outro índice atrelado à inflação.

Fundos cambiais

Os fundos cambiais concentram os seus investimentos em títulos relacionados à variação dos preços da moeda estrangeira. Essa variação é o principal fator de risco desse tipo de fundo, que tem sua rentabilidade relacionada ao movimentos da moeda estrangeira.

Por isso, esse investimento é indicado para investidores que possuem maior tolerância ao risco e que aceitam as oscilações do fundo durante o período de investimento, pois é uma aplicação de alta volatilidade.

Fundos multimercados

Os fundos multimercados operam com diferentes ativos, como ações, produtos de renda fixa, títulos cambiais etc., com o objetivo de diversificar os investimentos dos seus recursos e obter uma rentabilidade acima da média.

A alta diversificação do fundo possibilita ao gestor criar várias estratégias de acordo com as mudanças do mercado financeiro e do cenário econômico, para conseguir um retorno mais atrativo.

É importante destacar que, apesar das muitas oportunidades de ganho em diferentes ativos, os fundos multimercados possuem seus riscos, o que pode variar de acordo com a estratégia adotada pelo gestor.

Fundos de ações

São fundos que investem em renda variável e são indicados para investidores que buscam uma maior rentabilidade e não possuem medo de arriscar o capital investido. Os recursos investidos nos fundos de ações são aplicados em ações de diversas empresas, as quais são negociadas na Bolsa de Valores.

Os fundos de ações são uma boa opção para o investidor que deseja investir em ações, mas não possui o conhecimento necessário para operar diretamente na bolsa e também para o pequeno investidor que, operando diretamente na Bovespa, pagaria altos custos com taxas de corretagem e de custódia.

Fundos abertos e fechados

Os fundos de investimento abertos existem por tempo indeterminado, sendo permitida a entrada de novos cotistas e também a saída dos mesmos mediante a venda dos ativos do fundo.  Pode o cotista efetuar o resgate total ou parcial das suas cotas, desde que respeitadas as condições estabelecidas no respectivo regulamento.

Nos fundos de investimentos fechados não é permitida a entrada e saída de cotistas após o período de captação de recursos pelo fundo, nem mesmos novos investimentos pelos antigos cotistas.

Esse tipo de fundo tem tempo determinado e somente ao final os ativos são vendidos, os cotistas recebem o valor total de suas cotas e o fundo é encerrado, conforme prazos e condições previamente estabelecidos, ou ainda por ocasião da sua liquidação antecipada.

Entenda as vantagens e desvantagens de investir em fundos

Assim como a aplicação em outras modalidades de investimento, os fundos também possuem as suas vantagens e desvantagens. A seguir, listamos algumas delas.

Vantagens

  • o investidor sabe previamente as estratégias que o gestor poderá utilizar;
  • o investidor tem o seu dinheiro administrado por um profissional da área, diminuindo assim os riscos de uma aplicação equivocada;
  • os custos administrativos e operacionais são divididos entre os investidores que realizam suas aplicações no fundo;
  • a aplicação em fundos permite uma maior diversificação da carteira de investimentos, tornando acessível ao investidor uma gama de títulos que lhe seriam inacessíveis caso investisse sozinho.

Desvantagens

  • Cobrança de taxa de administração para poder manter a estrutura operacional;
  • os cadastros são extensos, devido os fundos serem muito exigentes;
  • mesmo com as informações fornecidas no site CVM, elas ainda não são totalmente claras, diminuindo assim a transparência dos investimentos;
  • os custos podem ser altos e, em alguns investimentos, a rentabilidade pode ser corroída, devido a cobrança de algumas taxas.

Aprenda o significado de algumas palavras que envolvem o universo dos fundos de investimentos

Para facilitar o entendimento, separamos algumas palavras que fazem parte do mundo dos investidores. Acompanhe!

  • cota: é uma fração do fundo;
  • cotistas: o investidor que aplica seu dinheiro;
  • resgate: quando o investidor retira a sua aplicação do fundo;
  • come-cotas: recolhimento do imposto de renda — de forma semestral — incidente sobre os rendimentos conquistados nas aplicações dos fundos de investimentos.
  • gestor do fundo: aquele que administra o investimento realizado;
  • sigla CDI: é um título emitido pelos bancos, que garante as operações do mercado interbancário, ou seja, transações entre as instituições financeiras.

O fundo de investimento traz várias possibilidades de rentabilidade para todos os tipos de investidores, tanto os que não possuem problema em correr riscos, quantos os mais conservadores. Porém, para realizar aplicações em fundos, é necessário que sua gestão financeira seja impecável, para que você possa realizar seus investimentos com tranquilidade, sem prejudicar outros campos na sua vida.

Agora que você já sabe o que é o fundo de investimento, curta nossa página no Facebook e fique por dentro de todas as nossas novidades!

Sobre o Autor

LiveCapital

LiveCapital é um gerenciador de investimentos que ajuda você a controlar online todas as suas ações, derivativos, fundos, renda fixa e outros ativos.