Entenda a diferença entre Letra de câmbio e cheque

Você sabe o que é a Letra de câmbio, também conhecida como LC? Trata-se, em linhas gerais, de um título de crédito por escrito que vincula uma ordem de pagamento de uma pessoa para outra. As Letras de câmbio são consideradas um tipo de investimento de renda fixa que se dá por meio de instituições financeiras, e que têm como vantagem sua rentabilidade, que é maior do que a caderneta de poupança. Além disso, elas são investimentos seguros, ideais para aqueles investidores de perfil mais conservador.

Agora, você sabe qual é a diferença entra a Letra de câmbio e o cheque? Muita gente confunde os dois e, por isso, neste post explicamos o que distingue um do outro.

O que são títulos de crédito

Antes de entrar a fundo no conceito da Letra de câmbio, é preciso falar um pouco sobre os títulos de crédito. Tratam-se de documentos que representam um crédito referente a uma transação específica. Eles facilitam a circulação entre os titulares e garante mais segurança às operações, substituindo a moeda corrente. 

O que é a Letra de câmbio

Conforme explicamos na introdução deste post, a Letra de câmbio nada mais é do que uma ordem de pagamento à vista ou a prazo. Elas são usadas pelas instituições financeiras como um meio de captar recursos financeiros para emprestar à pessoas físicas ou jurídicas após um contrato de financiamento. Dentre as figuras da Letra de câmbio estão o sacador, aquele que emite a ordem de pagamento; o sacado, a pessoa a quem a ordem é emitida; e o tomador, o beneficiário de tal ordem.

Para usar as Letras de câmbio, é necessário obedecer a algumas regras. Além dos requisitos comuns a qualquer título de crédito, para esse tipo de operação são exigidos a denominação “Letra de câmbio”,  o valor a ser pago, o nome da pessoa que deve pagar, o nome da pessoa a quem será feito pagamento, a data do saque, o lugar onde a letra foi sacada e a assinatura do sacador. Caso algum desses requisitos esteja faltando, o documento perderá seu caráter cambiário. 

Vale lembrar que o sacado só será obrigado a pagar o título se houver expressa concordância de sua obrigação por meio do aceite, que acontece por meio da assinatura do sacado no verso, acompanhado da expressão “aceito”.

No que se refere ao vencimento, o pagamento da Letra de câmbio poderá ser à vista ou a prazo, com vencimento em dias úteis, em que haja expediente bancário. 

Cabe ressaltar ainda que, em certas situações, a Letra de câmbio pode ser protestada. Dentre os motivos para que isso aconteça estão o protesto por falta de aceite, por falta de data de aceite e por falta de pagamento.

A diferença entre a Letra de câmbio e o cheque

Como você já deve saber, o cheque, assim como a Letra de câmbio, também é um tipo de título de crédito que representa uma ordem de pagamento à vista. As operações com cheque envolvem três partes: o sacador, que por meio do saque cria o cheque; o sacado, que no caso é o banco, e que recebe a ordem de pagamento; e o beneficiário ou tomador, que é o credor da operação. Para que o banco sacado faça o pagamento do valor do cheque, o sacador deve ter uma conta-corrente na instituição e, é claro, deve haver fundos suficientes em conta para cobrir o valor do título. 

As principais distinções entre o cheque e a Letra de câmbio são que o cheque é sempre uma ordem de pagamento à vista, que necessariamente deve ter como sacado um banco. Além disso, ao contrário do que acontece com a Letra de câmbio, no cheque é proibido o aceite

na Letra de Câmbio, o título não precisa ser à vista: ele pode ter um vencimento futuro, e precisa do aceite para ser considerado válido. Além disso, o sacado pode ser qualquer pessoa ou empresa, sem a obrigatoriedade de ser uma instituição financeira

O investimento em Letra de câmbio

Para concederem crédito aos clientes, as instituições financeiras precisam angariar recursos, e uma das maneiras de realizar essa captação é justamente por meio das Letras de câmbio. Isso faz delas uma opção de investimento consideravelmente segura e com boa rentabilidade.

Por se tratar de uma aplicação de renda fixa mais a longo prazo, quanto mais tempo o valor aplicado, mais rentável o investimento em Letra de câmbio será. 

Quanto ao prazo de remuneração, elas podem ser classificadas em três tipos: prefixadas, pós-fixadas e híbridas. Nas Letras de câmbio prefixadas, a rentabilidade da aplicação já é conhecida antes de realizar o investimento e, se durante a vigência do prazo as taxas de juros aumentarem, o rendimento ficará abaixo do real. Nas pós-fixadas, a rentabilidade só é conhecida no vencimento, e a taxa de rendimento varia de acordo com o mercado financeiro. Por fim, as híbridas têm dois indexadores, que podem ser fixos ou variáveis, por exemplo, uma taxa de juros e o IPCA. 

 

E aí, este conteúdo foi útil para você? Se sim, compartilhe nas mídias sociais e nos ajude a espalhar conhecimento sobre o mercado financeiro! 

Sobre o Autor

LiveCapital

LiveCapital é um gerenciador de investimentos que ajuda você a controlar online todas as suas ações, derivativos, fundos, renda fixa e outros ativos.