Comparação de fundos: 6 dicas para você se organizar e decidir

Os fundos de investimentos são considerados uma boa opção para investidores de qualquer perfil: conservador, moderado ou arrojado. Isso porque eles contribuem para a diversificação e o equilíbrio entre ganhos e perdas.

Mas você sabe em quais fundos seria melhor investir? Abaixo, listamos 6 dicas para você fazer uma comparação de fundos eficaz e tomar as melhores decisões! Boa leitura!

1. Compare as plataformas

Hoje, existem diferentes plataformas de investimentos na Internet. Mas é interessante fazer uma confrontação entre elas. Considere, pelo menos, os serviços que oferecem, a opinião dos investidores-clientes e os preços cobrados pela gestão dos fundos.

Pode-se analisar, inclusive, a diversificação de fundos que elas oferecem, já que há muitos tipos de fundos de investimentos.

2. Analise a rentabilidade anual de cada fundo

Digamos que você decidiu investir em uma determinada corretora de valores que oferece uma plataforma de fundos de investimentos bastante diversificada. É o momento de avaliar os fundos disponíveis e comparar a rentabilidade que eles vêm oferecendo anualmente.

Mesmo que o fundo seja um pouco mais arriscado (como o fundo de ações), se o desempenho dele tem sido satisfatório ao longo dos últimos anos, talvez seja uma boa alternativa para quem deseja maiores rendimentos.

Por outro lado, se os fundos de renda fixa não apresentam uma rentabilidade tão alta, mas, ainda assim, oferecem rendimentos capazes de satisfazer suas necessidades, você pode optar por eles, aliando, assim, uma boa renda à maior segurança.

3. Pesquise as semelhanças e diferenças de cada fundo

A comparação de fundos deve considerar que cada modalidade tem suas próprias características e você deve escolher a que mais se ajusta ao seu perfil:

  • as de renda fixa investem 80% dos recursos em ativos de renda fixa prefixados ou pós-fixados;
  • as de ações investem cerca de 67% de seus recursos em ações da B3;
  • multimercados aplicam os recursos em ativos diversificados (renda fixa, ações, câmbio, derivativos);
  • referenciados investem 95% dos recursos acompanhando um indicador específico, chamado benchmark (pode ser, por exemplo, o DI, Depósito Interbancário);
  • cambiais aplicam recursos que, em sua maioria (80%), estão atrelados à oscilação de preços de uma moeda estrangeira ou da taxa de juros;
  • os de curto prazo procuram acompanhar as mudanças nas taxas de juros, aplicando recursos em títulos públicos federais prefixados ou títulos privados de baixo risco;
  • imobiliários aplicam os recursos no setor imobiliário e os rendimentos geralmente vêm dos aluguéis de imóveis;
  • os da dívida externa investem 80% dos recursos em títulos que representam a dívida externa da União.

4. Avalie os riscos e a volatilidade

Quando se fala em renda variável, a análise dos riscos e da volatilidade dos fundos é ainda mais importante. A volatilidade representa as constantes altas e quedas nos preços das ações e da moeda, por exemplo, que são ativos financeiros que integram fundos de investimentos.

Contudo, geralmente existe uma relação entre riscos e volatilidade elevados e altos retornos, o que deve ser considerado quando você efetuar a comparação de fundos. Um fundo que usa uma estratégia mais ousada tende a oferecer uma rentabilidade mais atrativa.

5. Não se iluda com o “papo” de vendedor

Aprenda a separar o joio do trigo. Claro que toda instituição deseja vender seus produtos e vai tentar “empurrar” para você os fundos de que dispõe.

É preciso ficar alerta e contatar um assessor de investimentos confiável, que atue em uma plataforma com diferentes opções de fundos e de outros investimentos. Como a diversidade é maior, talvez ele o oriente com mais imparcialidade, sugerindo realmente os melhores fundos para o seu caso.

6. Use um aplicativo que faça a comparação de fundos

A tecnologia também pode ajudar a comparar os fundos e escolher o melhor. Trata-se de uma ferramenta digital fácil de usar. Basta selecionar os variados fundos que pretende comparar. O aplicativo faz um comparativo entre todos, analisando a rentabilidade anual.

Por meio de um gráfico, a pessoa pode comparar a performance deles com IBOVESPA, CDI, Selic e outros indexadores.

Ele também permite filtrar a análise por períodos específicos e visualizar o nível de riscos de cada um.

Já fez a sua comparação de fundos? Aproveite para entrar em contato com a Live Capital, converse com um consultor e faça sua escolha!

Sobre o Autor

LiveCapital

LiveCapital é um gerenciador de investimentos que ajuda você a controlar online todas as suas ações, derivativos, fundos, renda fixa e outros ativos.