Como eliminar as dívidas e voltar a investir

Infelizmente, o endividamento é muito comum na rotina do brasileiro. Seja por se perder no limite do cheque especial, seja por se enrolar com os juros do cartão, ou mesmo por ter passado por imprevistos sem ter uma reserva emergencial, o fato é que contrair dívidas é um pesadelo que assombra muitas pessoas em nosso país. 

A boa notícia nisso tudo é que, apesar das adversidades, é possível contornar essa situação. Como? Adotando alguns hábitos financeiros mais saudáveis e exercitando um pouco mais a disciplina, o foco e a organização. Neste post, vamos dar algumas dicas para quem precisa driblar as dívidas e retomar os investimentos!

Quantifique a extensão das dívidas

O primeiro passo para fugir do endividamento é colocar na ponta do lápis todos os débitos, incluindo o valor da dívida original, os juros que incorrem sobre elas e as eventuais taxas e multas. Assim, você vai saber calcular a extensão do problema e será mais fácil buscar a solução.

Defina prioridades

Assim que souber o valor total das dívidas, a próxima etapa é priorizar o que deve ser quitado com mais urgência, como, por exemplo, os débitos com maiores juros. É o caso do cartão de crédito e do cheque especial, entre outros. Postergar o pagamento dessas dívidas só piora a situação, pois o valor a ser pago aumenta ao longo do tempo, o que pode arruinar seu planejamento. 

Faça um orçamento mensal

Após listar as dívidas a serem pagas, é chegado o momento mais temido: o de delimitar todos os seus gastos mensais, descriminando as despesas com alimentação, transporte, moradia, contas de consumo e quaisquer outros gastos que comprometam seu orçamento. Saber o quanto exatamente você gasta por mês é essencial para descobrir o valor que sobrará para quitar as dívidas. Além disso, esse hábito ajuda a identificar eventuais desperdícios, como compras de “bobagens” e assinaturas que quase não são utilizadas. Isso será fundamental para a etapa seguinte, que é a de cortar gastos. 

Reduza despesas

Depois que você já descobriu quais são as despesas fixas que não podem ser cortadas, é hora de controlar os gastos e procurar oportunidades de economizar, seja cortando supérfluos, seja cancelando alguns serviços, seja optando por marcas mais baratas no dia a dia ou pesquisando um pouco mais os preços antes de fazer compras. Outra dica que auxilia bastante é evitar ao máximo os parcelamentos, assim, você evita o pagamento de juros e não perde o controle. 

Renegocie com as instituições financeiras

Para sair da situação de endividamento mais rapidamente, é importante renegociar suas dívidas com os credores. Muitas instituições oferecem condições mais vantajosas de pagamento caso você tenha a possibilidade de quitar o débito à vista, por exemplo. Também é possível negociar prazos melhores, para evitar sujar o nome. A dica é procurar os bancos ou administradoras de cartão de crédito, expor sua realidade financeira, pedir descontos e propor acordos que caibam em seu orçamento

Procure ajuda de órgãos públicos 

Se você não conseguir um acordo vantajoso com as instituições a que está devendo, uma sugestão interessante é procurar órgãos públicos que existem especialmente para ajudar as pessoas em situação de endividamento, como a Defensoria Pública, para abrir um processo de conciliação com a empresa credora, ou o Programa de Apoio ao Superendividado (PAS), do Procon que, entre outras ações, realiza a mediação do devedor com as empresas para tentar firmar um acordo que atende a ambas as partes. 

Venda bens, caso os tenha

A gente espera que não seja preciso chegar a esse ponto mas, caso nenhuma das soluções anteriores tenha sido efetiva, ou se você quiser acelerar o processo de eliminação de dívidas, uma alternativa seria vender alguns bens, caso você os possua. Pode ser uma boa vender eletrodomésticos ou móveis sem uso, roupas paradas no armário, ou até mesmo bens maiores, como um veículo, por exemplo. Assim, você levanta um dinheiro extra para ajudar no pagamento dos débitos. 

Não cometa novamente o mesmo erro: faça uma reserva de emergência

Depois que você conseguir se reorganizar financeiramente, colocar as prestações em dia e se livrar do endividamento, será o momento de pensar no futuro e evitar passar por todos esses contratempos novamente. Mantenha o hábito de poupar dinheiro, cortando supérfluos e mantendo seu padrão de vida um pouco mais baixo, para que sobre mais na conta no fim do mês. Guarde esse dinheiro “extra” para situações inesperadas, como um realizar um conserto fora de hora no carro ou na casa, comprar remédios em caso de acidentes ou doenças, trocar de computador ou celular caso parem de funcionar de uma hora para outra…

Dessa forma, o cheque especial fará parte de um passado distante, e você dificilmente vai se endividar de novo. Contas pagas, reserva de emergência criada, saldo financeiro no azul, você finalmente poderá voltar a investir! 

Sobre o Autor

LiveCapital

LiveCapital é um gerenciador de investimentos que ajuda você a controlar online todas as suas ações, derivativos, fundos, renda fixa e outros ativos.