Como a variação do dólar afeta os seus investimentos?

Existem vários fatores capazes de influenciar seus investimentos, um deles é a oscilação do dólar. Mas você sabe o porquê de as variações de câmbio de moedas estrangeiras causarem impactos positivos ou negativos na rentabilidade das aplicações? Neste post, a gente explica!

Por que o dólar oscila?

Antes de tudo, é preciso saber o motivo da variação do dólar. Em regras gerais, pode-se dizer que essa oscilação ocorre por causa da lei da oferta x demanda, ou seja, quando há muitos dólares disponíveis no mercado, a moeda se desvaloriza, mas quando a oferta cai, o seu valor aumenta.

Até aí, tudo bem. Mas o que influencia a oferta e a demanda dos dólares? Muitos fatores, como, por exemplo, as taxas de juros, a balança comercial, o preço das commodities, o risco-país, as intervenções do Banco Central do Brasil para controlar a inflação, entre outros. 

Como a variação da moeda afeta a economia?

O dólar é tradicionalmente utilizado como a moeda de referência, com base na qual os valores de outras moedas estrangeiras é calculado. Isso significa que suas oscilações causam impacto direto nas relações entre quaisquer países do mundo. A taxa de câmbio interfere não só nas transações internacionais, mas também na economia nacional, influenciando os preços e até a inflação. 

Como grande parte das matérias-primas e do maquinário utilizado nas fábricas e até mesmo na agricultura tem seu preço cotado na moeda norte-americana, os produtos nacionais e os alimentos produzidos no Brasil também são afetados pelo dólar. 

A indústria também sente os impactos da oscilação do preço do dólar, uma vez que, com a moeda em alta, os produtos importados sobem de preço e os produtos nacionais tornam-se mais competitivos, o que acaba fortalecendo a indústria brasileira

De que maneira a variação do dólar influencia nos seus investimentos? 

Dependendo da natureza da aplicação, ela pode ser mais ou menos afetada pela variação de câmbio, e é importante entender quais são os investimentos mais impactados.

Investimentos diretos em moeda estrangeira, obviamente, são os mais afetados pelo sobe e desce do preço do dólar, pois a rentabilidade oscila conforme a variação da moeda. Os investimentos em fundos cambiais também sofrem esse impacto, uma vez que são aplicações de rendimento prefixado somado à variação de câmbio, ou seja, quanto o dólar está baixo, o fundo perde rentabilidade, e vice-versa. 

Outra modalidade de fundos, os multimercados, também é influenciada pelo dólar, embora em menor medida. Esses fundos têm grande variedade de ações, títulos públicos, moedas e commodities e, por isso, são mais seguros do que os primeiros quando o assunto é a oscilação cambial.

Até mesmo os investimentos de Renda Fixa sofrem consequências indiretas. Quando o dólar está com sua cotação mais baixa, a inflação tende a ficar sob controle, o que, por sua vez, reduz a taxa de juros. Isso causa um impacto negativo na rentabilidade de aplicações como Certificado de Depósito Bancário (CDB), Letra de Crédito Imobiliário (LCI), Letra de Crédito do Agronegócio (LCA), Tesouro Selic e Tesouro IPCA+.

O inverso acontece com os ativos prefixados, como o Tesouro Prefixado ou os CDBs prefixados: esses ativos têm o mesmo rendimento, independentemente da variação do dólar. Entretanto, as aplicações deixam de se beneficiar da alta da moeda e, consequentemente, das taxas de juros.

O mercado de ações também é afetado pela variação cambial de diferentes maneiras. Em geral, quando o preço da moeda norte-americana cai e a economia brasileira se fortalece, a tendência é que as ações das companhias nacionais se valorizem.

Mas isso não é uma regra, porque existem outros fatores envolvidos. Por exemplo, as empresas exportadoras têm toda a sua receita decorrente de transações no mercado externo, portanto, a valorização do dólar em relação ao real seria vantajosa para quem investisse nos papéis de tais companhias, pois geraria dividendos mais expressivos e causaria um aumento no preço de suas ações. Por outro lado, as ações de empresas importadoras tendem a subir de preço com a queda do dólar, e se desvalorizar quando a moeda está em alta. Como você pode perceber, o investidor precisa estar conectado a essas pequenas sutilezas do mercado financeiro para não perder dinheiro investindo na Bolsa quando o dólar está oscilando. 

A única aplicação que parece ser imune à questão cambial é a popular caderneta de poupança. Ironicamente, porém, esse não é um investimento indicado para quem quer realmente lucrar, visto que apresenta uma rentabilidade muito baixa

Conforme explicamos neste post, a variação do câmbio causa impactos na economia e nos investimentos de várias maneiras e, por isso, é essencial que o investidor acompanhe o mercado para investir com inteligência e segurança, e não correr risco de ficar no prejuízo. 

Outra medida fundamental para garantir o sucesso é apostar em um gerenciador de investimentos para ajudar a controlar seus ativos e acompanhar a evolução das aplicações. Com o LiveCapital, é muito mais fácil gerenciar suas aplicações, onde quer que você esteja Quer saber o que podemos fazer para você lucrar mais? Clique aqui e conheça nossas soluções!

Sobre o Autor

LiveCapital

LiveCapital é um gerenciador de investimentos que ajuda você a controlar online todas as suas ações, derivativos, fundos, renda fixa e outros ativos.